loader image
Pesquisar
Close this search box.

Finanças no começo de ano – Como se organizar

Confira como organizar as suas Finanças no começo de ano, lendo o nosso texto a seguir!
Confira como organizar as suas Finanças no começo de ano, lendo o nosso texto a seguir!

Anúncios

Ano novo, vida nova! Esse é o lema que muitas pessoas levam para a vida e, apesar de termos poucos dias, muitas pessoas já traçaram as metas que querem realizar nos próximos dias e meses do ano, incluindo quem quer se organizar financeiramente para ter um ano sem sufocos com dinheiro.

Exatamente pensando em riscar a primeira meta da sua lista, criamos um texto completo com dicas que você deve levar para vida para se organizar financeiramente não apenas no início do ano, mas no dia a dia. Confira!

Por que organizar-se financeiramente é importante?

Muitas pessoas podem acabar se perguntando por quê organizar-se financeiramente é uma tarefa importante, afinal com o passar do tempo conseguimos tranquilamente fazer uma administração de pagamento de dívidas, mas no fim do mês não sobra nada.

Acontece que, com o passar do tempo e o descontrole financeiro, em algum momento você vai acabar gastando mais do que recebe mensalmente e, como consequência disso, você acaba ficando com dívidas.

Além disso, você ainda pode acabar caindo no SPC e no Serasa por conta das suas dívidas, o que compromete o seu CPF de conseguir crédito financeiro e diversas outras adversidades, que só podem ser controladas de forma eficaz e com organização.

No próximo tópico, iremos passar algumas dicas de como você pode se organizar financeiramente ainda no início de 2023 para não ter nenhum problema com dinheiro ao longo do ano, afinal temos a certeza de que abundância é uma das suas metas.

Dicas para você se organizar financeiramente

Entenda as suas finanças

Antes de mais nada, você deve fazer uma análise dos seus gastos fixos todos os meses, como, por exemplo, aluguel e internet, e também os gastos que variam de valor por mês, como gasolina, luz e gás, que apesar de serem essenciais, podem variar de valor no mês ou não serem necessários em determinado mês, como é o caso do gás, que você não compra sempre.

Ao anotar tudo o que está saindo da sua conta bancária, você deverá necessariamente anotar tudo o que entra na sua conta, e estamos falando de absurdamente tudo mesmo, desde os PIX que você recebe de amigos depois de um jantar até o seu salário mensal.

Eleja as suas prioridades

Sabemos o quanto comprar algo para si é importante, principalmente naqueles momentos em que estamos mais para baixo, contudo, esse é um risco mais alto do que julgamos, visto que ele não está dentro das prioridades e acaba tirando uma boa parcela de dinheiro do seu limite de crédito ou diretamente da sua conta bancária.

Exatamente por conta disso que você deve eleger as suas prioridades, o que inclui determinar, em primeiro lugar, os seus gastos fixos, como já explicamos anteriormente, mas também para onde o restante do dinheiro será destinado: Um investimento? Academia? Reserva de emergência? Pagamento de IPTU e IPVA daquele ano? 

Elimine gastos invisíveis

Por serem invisíveis, eles simplesmente passam batido e só podem ser analisados quando é feita uma análise na ponta do lápis do que está saindo da sua conta bancária, sendo que estes gastos acabam sendo muito comuns em anuidades de cartões de crédito ou seguros que são cobrados em cartões de loja.

Neste caso, também vale a pena investir na possibilidade de fazer uma análise mais detalhada e por isso a primeira dica que lhe passamos é tão importante, pois você consegue eliminar gastos que, a longo prazo, acabam se tornando um valor exorbitante.

Fique atento a gastos desnecessários

Como já comentamos anteriormente, entender quando você está realmente precisando de algo ou apenas realizando uma compra por compulsão é muito importante, por isso recomendamos que você se pergunte:

  • eu realmente preciso disso? 
  • será útil a longo prazo ou eu estou comprando apenas porque achei bonito?
  • o valor está dentro do que eu posso pagar e/ou o parcelamento irá comprometer muito a minha renda mensal?

Lembrando sempre que os gastos que você realiza em parcelamentos nunca devem ultrapassar mais do que 15% da sua renda mensal, o que ajuda a manter um controle mais estável do que está saindo da sua conta bancária e sobra um dinheirinho para uma reserva de emergência.

Faça reservas e invista o dinheiro

Já falamos algumas vezes sobre a reserva de emergência, mas você sabe de fato o que é isso? A reserva de emergência é um valor que você sempre irá deixar guardado, pode ser diretamente na sua conta, na poupança ou em um investimento que você possa sacar na hora e ele será destinado apenas para situações em que você não estava preparado financeiramente, como gastos com hospital e conserto de automóveis.

Uma boa dica para quem não quer fazer uma reserva de emergência, mas também não quer gastar todo o dinheiro é investi-lo, podendo ser na poupança ou em outra modalidade de investimento, todavia, recomendamos que você procure consultores, caso deseje se arriscar um pouco mais para não acabar perdendo dinheiro.

Não fique no vermelho no início do ano

Por último, mas não menos importante, recomendamos que você não fique no vermelho logo no início do ano e, apesar de parecer difícil por conta dos gastos com as festas de Natal e Ano Novo, é algo que você deve se preocupar ainda durante o mês de janeiro, para não acabar fazendo mais dívidas do que você é capaz de pagar.

Seguindo as demais dicas, você com certeza vai conseguir se organizar financeiramente e terminar o primeiro mês do ano no azul, o que vai dar o impulso que faltava para você ter vontade de mudar de vida ao longo do ano.

Esperamos que as dicas que passamos ao longo deste texto tenham sido de grande utilidade para você e que, ao longo do ano, você consiga se organizar financeiramente e juntar um pouco de dinheiro para aproveitar a vida, seja com uma viagem ou uma compra específica para melhorar a autoestima. 

Related Posts: